Pular para o conteúdo
Início » Filhos grandes que ainda dormem com os pais. Como a Psicanálise pode ajudar?

Filhos grandes que ainda dormem com os pais. Como a Psicanálise pode ajudar?

filhos que dormem com os pais

Na dinâmica familiar, é comum que os filhos que dormem com os pais durante os primeiros anos de vida. No entanto, quando essa prática se estende por um período prolongado, pode indicar questões mais profundas e complexas. 

Filhos que já alcançaram uma idade mais avançada e ainda dormem com os pais podem estar enfrentando dificuldades emocionais que precisam ser compreendidas e abordadas adequadamente. 

Neste texto, exploraremos como a psicanálise pode oferecer contribuições valiosas e auxiliar tanto os pais quanto os filhos nesse processo de transição e compreensão emocional.

Quais são as principais causas para filhos grandes dormirem com os pais?

Existem diversas razões pelas quais filhos maiores podem optar por continuar dormindo com os pais ou encontrar dificuldades em se separar desse hábito. Algumas das principais causas incluem:

1. Medo ou ansiedade

Filhos podem sentir medo de dormir sozinhos devido a preocupações com segurança, pesadelos, ou ansiedade de separação. Esses medos podem ser agravados por eventos estressantes na vida da criança, como mudanças familiares, problemas na escola ou situações traumáticas.

2. Dependência emocional

Filhos que desenvolvem uma forte dependência emocional dos pais podem ter dificuldades em se separar deles durante a noite. Isso pode acontecer devido a uma variedade de fatores, como superproteção dos pais, falta de autonomia ou insegurança emocional.

3. Problemas de saúde mental

Transtornos como ansiedade, depressão, transtorno do espectro autista (TEA) ou transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) podem influenciar os padrões de sono e levar à necessidade de dormir com os pais como uma forma de conforto ou segurança.

4. Traumas não resolvidos

Eventos traumáticos, como divórcio dos pais, morte de um ente querido, abuso ou negligência, podem deixar marcas emocionais profundas nas crianças, levando-as a buscar a proximidade dos pais durante a noite como uma forma de lidar com o estresse emocional.

Como identificar transtornos ou traumas nos filhos?

Identificar se um filho está enfrentando transtornos ou traumas que podem estar contribuindo para o comportamento de dormir com os pais requer sensibilidade e atenção aos sinais emocionais e comportamentais. 

Alguns indicadores a serem observados incluem:

1. Mudanças no comportamento

Se um filho que antes dormia tranquilamente em seu próprio quarto começa a expressar medo ou ansiedade em relação ao sono, isso pode indicar que algo está perturbando emocionalmente a criança.

2. Pesadelos frequentes

Pesadelos recorrentes podem ser um sinal de que a criança está processando eventos estressantes ou traumáticos durante o sono, o que pode levá-la a buscar conforto na presença dos pais.

3. Dificuldades de concentração ou irritabilidade

Problemas de saúde mental, como ansiedade ou depressão, podem se manifestar através de dificuldades de concentração, irritabilidade ou mudanças no humor da criança durante o dia.

4. Retrocessos no desenvolvimento

Filhos que antes demonstravam independência e autonomia podem regredir em seu desenvolvimento emocional e comportamental, buscando a proximidade dos pais como uma forma de lidar com o estresse emocional.

Vale destacar que a observação é importante para a identificação de determinados sinais, mas não é suficiente para o diagnóstico médico, que deve ser feito por um profissional capacitado. 

Como agir diante dessas situações?

Diante da descoberta de que um filho maior ainda está dormindo com os pais devido a dificuldades emocionais, é importante adotar uma abordagem compassiva e empática para lidar com a situação. 

Algumas estratégias úteis incluem:

1. Comunicação aberta

Estabelecer um ambiente seguro e acolhedor para que o filho possa expressar seus sentimentos e preocupações sem medo de julgamento é fundamental para entender as razões por trás do comportamento.

2. Estabelecer limites saudáveis

É importante definir limites claros e consistentes em relação aos padrões de sono, incentivando gradualmente a independência do filho e promovendo a confiança em suas próprias habilidades de enfrentamento.

3. Buscar apoio profissional

Consultar um psicólogo infantil ou um terapeuta familiar pode fornecer orientação especializada para ajudar a criança a lidar com seus medos, ansiedades ou traumas de uma maneira saudável e construtiva.

4. Promover estratégias de enfrentamento saudáveis

Ensinar ao filho técnicas de relaxamento, como respiração profunda, visualização ou meditação, pode ajudá-lo a lidar com o estresse e a ansiedade, proporcionando-lhe ferramentas para enfrentar os desafios emocionais.

Como a psicanálise pode ajudar?

A psicanálise oferece uma abordagem holística para compreender e tratar os problemas emocionais subjacentes que podem estar contribuindo para o comportamento de dormir com os pais. 

Algumas maneiras pelas quais a psicanálise pode ajudar incluem:

1. Exploração do inconsciente

Através da investigação dos processos mentais inconscientes, a psicanálise pode ajudar a criança a compreender as origens profundas de seus medos, ansiedades ou traumas, permitindo-lhe fazer conexões significativas entre seu passado e seu presente.

2. Fortalecimento do ego

Ao fortalecer o ego da criança e promover sua capacidade de enfrentar os desafios emocionais de forma saudável e adaptativa, a psicanálise pode ajudá-la a desenvolver uma maior autonomia e autoconfiança em relação ao sono e outras áreas da vida.

3. Resolução de conflitos familiares

A psicanálise pode facilitar a comunicação aberta e a resolução de conflitos dentro da família, promovendo relações mais saudáveis e fortalecendo os laços afetivos entre pais e filhos.

4. Construção de relações seguras

Ao fornecer um espaço terapêutico seguro e acolhedor, a psicanálise pode ajudar a criança a construir relações de confiança com o terapeuta, proporcionando-lhe um ambiente propício para explorar seus pensamentos, sentimentos e experiências mais íntimas.

A psicanálise pode desempenhar um papel fundamental no apoio e na compreensão das necessidades emocionais das crianças que ainda dormem com os pais. 

Ao abordar as causas subjacentes desse comportamento e promover o desenvolvimento emocional saudável, a psicanálise pode ajudar tanto os pais quanto os filhos a navegarem por esse período de transição de forma mais tranquila e satisfatória.

Por isso, não deixe de procurar ajuda profissional para lidar com a questão dos filhos que dormem com os pais. E não esqueça que a psicanálise pode ser uma grande aliada no tratamento. Continue acompanhando o blog do Instituto FD e conheça os nossos cursos certificados pelo MEC!